Depois de ter comandado nas duas primeiras provas do Challenge DS3 R1 foi mesmo na terceira tentativa que Pedro Antunes, acompanhado de Alexandre Rodrigues, venceu, desta feita no Rali Vidreiro.

Três provas e três vencedores diferentes. É este o registo até ao momento do Challenge DS3 R1 de 2016, depois da disputa do Rali Vidreiro que consagrou a dupla Pedro Antunes / Alexandre Rodrigues como vencedores, após dois dias de competição nos quais ocorreram muitas incidências.

Hugo Lopes / Pedro Vaz foram os primeiros líderes, posição que perderam para Pedro Antunes / Alexandre Rodrigues na 3ª especial, depois de Ricardo Sousa / Carlos Silva terem vencido a super-especial, apesar do atraso que já tinham acumulado devido a uma falsa partida e a uma ligeira saída de estrada.

No segundo dia de competição Pedro Antunes não deu hipóteses a ninguém somando cinco vitórias em troços consecutivamente, para gerir o andamento no derradeiro troço no qual Ricardo Sousa regressou às vitórias em troços.

Curiosamente a derradeira especial viria a ser de sorte para Ricardo Sousa, que ascendeu ao segundo lugar, quando Gonçalo Inácio / Rui Raimundo furaram um pneu, perdendo um segundo lugar certo depois de um excelente rali em que foram consolidando essa posição que viriam a perder no derradeiro troço.

No quarto lugar ficou Diogo Soares / Luís Rodrigues, vencedores em Monchique, que estavam a lutar pelo pódio, quando viram um problema na caixa “roubar-lhes” 18 minutos na 5ª especial de classificação.

Entretanto Hugo Lopes ficava fora de prova quando capotou o seu carro na 4ª especial, mas também André Rodrigues / Eurico Adão e André Oliveira / Sérgio Rocha que tiveram problemas de transmissão nos seus Citroen DS3.

“Finalmente!!! À terceira foi de vez, acabaram-se os azares das provas anteriores. Já merecíamos este vitória num rali que nos correu muito bem no qual não tivemos quaisquer problemas de maior. No final, para evitar problemas gerimos um pouco mais, mas mantivemo-nos sempre concentrados e agora temos mais três finais para vencer”, comentava no final Pedro Antunes, depois desta vitória.

Ricardo Sousa volta a somar mais um segundo lugar, num rali em que admite que “já tínhamos a lição bem estudada, apesar de termos começado mal o rali, com uma penalização e uma ligeira saída de estrada. Não perdemos a calma e no segundo dia fomos aumentando o ritmo, mas a certa altura começamos a gerir, pois poderíamos voltar ao comando isolados do Challenge. Ainda beneficiamos do azar do Gonçalo Inácio, com o furo no último troço, para subir mais uma posição que nos permite consolidar a liderança no Challenge”.

No lugar mais baixo do pódio ficou Gonçalo Inácio, que estava irritado com o furo no último troço que lhe retirou um segundo lugar: “são azares a mais e não existe maneira de terminarem. O furo retirou-nos o segundo lugar com que constávamos depois do que fizemos no segundo dia de prova”.

No entender de Vitor Calisto, responsável pelo Challenge, o Rali Vidreiro “teve todos os condimentos de uma grande prova , com emoção e incerteza sempre até ao final. Em três provas existiram até agora três vencedores diferentes, pelo que o Challenge está relançado para a segunda fase da temporada”.

 

 

1 Pedro Antunes / Alexandre Rodrigues 1h11m23,6s
2 Ricardo Sousa / Carlos Silva a 53,9s
3 Gonçalo Inácio / Rui Raimundo a 6m03,s
4 Diogo Soares / Luís Rodrigues a 19m37,2s
- Hugo Lopes / Pedro Vaz Desistiu - Despiste
- André Oliveira / Sérgio Rocha Desistiu - Transmissão
- André Rodrigues / Eurico Adão Desistiu - Transmissão

 

 

1 Ricardo Sousa 65 Pontos
2 Diogo Soares 57 Pontos
3 Gonçalo Inácio 34,5 Pontos
4 Pedro Antunes 26 Pontos
5 André Rodrigues 17,5 Pontos
6 Hugo Lopes 16 Pontos
7 André Oliveira 13,5 Pontos

 

1 23/24 Abril Rali de Castelo Branco E Castelo Branco
2 11/12 Junho Rali de Monchique C A do Sul
3 24/25 Junho Rali Vidreiro C A M G
4 23/24 Julho Rali Aguiar da Beira C A M G
5 02/03 Setembro Rali Viana do Castelo C A Santo Tirso
6 12/13 Novembro Rali do Algarve C A do Algarve

O Challenge DS3 R1 foi a Monchique para mais uma grande prova. Depois do domínio de Pedro Antunes até perto do final, foi Diogo Soares que alcançou a vitória depois de um excelente rali.

Tal como em Castelo Branco, Pedro Antunes, desta feita com Luís Sá ao seu lado, foi o piloto azarado (novamente) do Rali de Monchique, desistindo a dois troços do fim quando parecia que a vitória estava segura.

Um problema na bomba de gasolina ditou que o líder desde a primeira especial ficasse pelo caminho e abrisse as portas à vitória de Diogo Soares / Luís Rodrigues, a grande surpresa em Monchique.

“Não estávamos nada à espera. Começamos o dia de sábado com um bom ritmo, e até ao fim do rali tivemos de atacar para conseguir sair vitoriosos, apesar de na super especial termos tido um problema de caixa que ficou encravada em segunda velocidade”, explicava no final Diogo Soares que conseguiu rodar sempre no pódio (vence quatro troços) até assumir a liderança e a vitória no seu segundo rali.

Com a lição muito bem estudada, Ricardo Sousa, tendo Carlos Silva a seu lado, foi paciente nesta prova, o que lhe valeu no final um sólido segundo lugar, tendo rodado grande parte do rali na terceira posição. A meio do rali resistiu à tentação de pressionar em demasia Diogo Soares, pelo que este resultado mantém o piloto na liderança do Challenge a par de Diogo Soares. “Foi muito bom, não cometemos erros e conseguimos cumprir com os objetivos que tínhamos para esta prova que era pontuar bem depois da vitória de Castelo Branco, o que nos mantém na liderança da competição”, dizia no final Ricardo Sousa, que ainda venceu uma especial.

No pódio terminou o regressado André Rodrigues, que conta agora com Eurico Adão como navegador. O piloto ficou satisfeito com este regresso em Monchique ao Challenge, prova que em 2015 foi para esquecer, dizendo que “fomos crescendo a pulso troço a troço. Fomos gerindo bem o nosso andamento e como não houve problemas a registar obtivemos um resultado muito animador”.

Nas duas posições seguintes ficaram Hugo Lopes / Pedro Vaz, dupla que chegou a fazer alguns tempos interessantes, mas que rodou sempre na segunda metade do pelotão, e os estreantes André Oliveira / Sérgio Rocha que tiveram uma prova para esquecer com dois furos a condicionarem muito o resultado.

Para Vitor Calisto, responsável pelo Challenge, o Rali de Monchique “foi muito interessante de seguir e mais uma vez com imponderáveis que alteraram de um momento para o outro a classificação. Quatro pilotos entraram no Top Ten no Campeonato FPAK o que nos deixa também muito satisfeitos. Agora, vamos já preparar o Rali Vidreiro que é já dentro de 15 dias”.

 

 

1 Diogo Soares / Luís Rodrigues 1h07m20,4s
2 Ricardo Sousa / Carlos Silva 1h07m39,4s
3 André Rodrigues / Eurico Adão 1h08m09,0s
4 Hugo Lopes / Pedro Vaz 1h09,07,7s
5 André Oliveira / Sérgio Rocha 1h16m18,3s
- Hugo Lopes / Pedro Vaz  desistiu
- André Oliveira / Sérgio Rocha desistiu

 

 

1 Ricardo Sousa 45 Pontos
2 Diogo Soares 45 Pontos
3 Gonçalo Inácio 17,5 Pontos
4 André Rodrigues 17 Pontos
5 Hugo Soares 15,5 Pontos
6 André Oliveira 13 Pontos
7 Pedro Antunes 1 Pontos

 

1 23/24 Abril Rali de Castelo Branco E Castelo Branco
2 11/12 Junho Rali de Monchique C A do Sul
3 24/25 Junho Rali Vidreiro C A M G
4 23/24 Julho Rali Aguiar da Beira C A M G
5 02/03 Setembro Rali Viana do Castelo C A Santo Tirso
6 12/13 Novembro Rali do Algarve C A do Algarve

O Challenge DS3 R1 vai ter a sua segunda prova da temporada, desta feita com a disputada do Rali de Monchique, no qual marcarão presença sete pilotos, mais dois do que na prova inaugural.

Depois da emoção da primeira prova em Castelo Branco a caravana do Challenge DS3 R1 está de regresso à estrada para disputar o Rali de Monchique, prova organizada pelo Clube Automóvel do Sul, que se realiza nos próximos dias 11 e 12 de junho. Pela primeira vez na sua história o Challenge DS3 R1 conta com sete pilotos à partida.

“Para este Rali de Monchique contamos com o regresso do André Rodrigues e com a entrada do André Oliveira. Desta forma serão sete equipas que estarão à partida do Rali de Monchique, mas continuamos a trabalhar para este ano ainda termos mais”, explica Vitor Calisto, responsável da Inside Motor Eventos, entidade que organiza o Challenge, referindo que “a primeira prova foi muito competitiva e interessante de seguir. Os dois pilotos que agora chegam poderão vir a animar ainda mais esta competição, até porque qualquer deles já não é estreante nos ralis. Em termos organizativos não existem novidades, pelo que contou mais uma vez com uma grande prova entre todos os pilotos que irão competir aos volante dos Citroen DS3 R1”.

 

EXPECTATIVAS DOS PILOTOS PARA O RALI DE MONCHIQUE:

 

RICARDO SOUSA

“Este rali terá para nós uma abordagem diferente, e o nosso objectivo é rodar no grupo da frente de forma a estarmos na luta pelos pontos do Challenge. O traçado é na sua generalidade estreito e não podemos cometer erros”.

DIOGO SOARES

“Para o Rali de Monchique mantemos o plano que tínhamos para Castelo Branco. Apesar do 2º lugar que obtivemos, sabemos que ainda não estamos ao nível dos nossos adversários. Razão pela qual os nossos objectivos continuam a passar por ganhar experiência e tentar elevar o nosso ritmo, sem entrar em exageros. Ainda temos muitos ralis pela frente e queremos chegar ao fim do campeonato com hipóteses de acabar numa boa posição. A fim de conseguirmos o que pretendemos, vamos entrar com cautela neste rali e vamos tentar evoluir ao longo do mesmo. Esperamos que o trabalho que temos vindo a fazer, e juntando o que aprendemos em Castelo Branco, se traduza num bom resultado”.

GONÇALO INÁCIO

“O objectivo principal deste rali passa por fazer tempos entre os primeiros e tentar lutar pela vitória no que diz respeito ao Challenge, tendo em mente claro que o troféu ainda está no início e o importante é amealhar o máximo de pontos. Quanto à estratégia a adoptar, é tentar imprimir um andamento rápido sem cometer erros, pois como ficou provado em Castelo Branco os erros pagam-se caro, e nos ralis para além de termos de ser rápidos, temos principalmente que ser consistentes”.

 

HUGO LOPES

“Os objetivos para Monchique passam por chegar ao fim, amealhando o maximo de pontos possivel, mas tambem ir conhecendo mais sobre o DS3 para que possa registar tempos entre os primeiros”.

PEDRO ANTUNES

“O objetivo é vencer a prova de Monchique, atacando logo de início porque é um rali com poucos quilómetros e qualquer desvantagem é difícil de recuperar”.

ANDRÉ RODRIGUES

“Os objectivos para Monchique centram-se apenas em acabar o rali e tentar melhorar os tempos a cada passagem. Fechei o projeto apenas na semana passada e não tivemos tempo para muita preparação. Já não faço ralis há um ano e por tudo isso é um rali para relembrar e tentar andar melhor que o ano passado. É preciso fazer quilómetros e voltar a ganhar confiança”.

ANDRÉ OLIVEIRA

“Vai ser a nossa estreia no troféu e também a primeira prova com o carro. Pretendemos ter uma noção de onde nos situamos em termos competitivos em relação aos nossos adversários com mais experiência e esta época já com um rali realizado. Vamos tentar fazer uma rápida e boa adaptação ao nosso Ds3, recolher o máximo de informação do carro até porque sendo um troféu todos os detalhes contam e de prova para prova queremos ser mais competitivos para chegar aos melhores resultados possíveis! Monchique será um rali novo para nós, vamos tentar fazer uma prova em evolução, melhorando o nosso andamento e ritmo a cada especial, dar o nosso melhor e fazer o melhor resultado possível”.

 

 

1 Ricardo Sousa 25 Pontos
2 Diogo Soares 20 Pontos
3 Gonçalo Inácio 17 Pontos
4 Hugo Soares 0,5 Pontos
4 Pedro Antunesa 0,5 Pontos

 

1 23/24 Abril Rali de Castelo Branco E Castelo Branco
2 11/12 Junho Rali de Monchique C A do Sul
3 24/25 Junho Rali Vidreiro C A M G
4 23/24 Julho Rali Aguiar da Beira C A M G
5 02/03 Setembro Rali Viana do Castelo C A Santo Tirso
6 12/13 Novembro Rali do Algarve C A do Algarve

O Challenge DS3 R1 teve hoje as primeiras “aceleradelas” de 2016, num evento que serviu para novos pilotos testarem o DS3, bem como para dar a conhecer o prémio final para o vencedor desta competição.

Inside Motor Eventos e alguns dos seus parceiros do Challenge DS3 R1 deslocaram-se à pista de Guilhabreu, em Vila do Conde, para realizarem a apresentação dinâmica desta competição, que vai entrar em 2016 no seu segundo ano.

Cerca de 10 pilotos, entre repetentes e novos pilotos, tiveram oportunidade de conduzir o DS3 R1. O que para alguns não foi novidade, para outros tornou-se num momento marcante, mas no final a satisfação por poderem conduzir o carro que irão tripular esta temporada era grande.

 

Go to top